|  Auto-conhecimento e Comportamento - Ajuda aos jovens gays perante a família / Blog da Mel / Esforço , Garra e Protestos

BLOGS: Blog da Mel

Esforço , Garra e Protestos

01/12/2009

 

Eu acompanhei de perto (e até participei) de  toda a maratona por votos de alguns membros  da comunidade do Orkut- “Homofobia já era”- durante o mês de novembro enquanto acontecia a enquete promovida pelo senado,  sobre a famosíssima  aprovação do PCL 122. Foi bonito de ver a mobilização e união do pessoal que trabalhou incessantemente, para que a nossa comunidade gay pudesse vencer e mostrar a força que podemos ter quando queremos atingir um objetivo. Chegamos a índices positivos até o ultimo domingo, porém infelizmente na segunda feira pela manhã após o site ter inclusive retirado e supostamente encerrado a enquete com a vitória do SIM, voltaram a colocá-la no ar, mas desta vez com votos contrários subindo de maneira galopante.

Vários membros da comunidade ficaram revoltados diante das evidências de ataques de hackers e fizeram seus  protestos aos Srs. Senadores.

Um deles foi o do Hugo Mind, o qual estou colocando na íntegra abaixo.

Antes de encerrar, quero parabenizar o Hugo pelo seu trabalho, seu esforço e atitude. Tomara que esses exemplos sirvam para unirmo-nos cada vez mais na conquista de direitos.

Vocês merecem ser tratados com igualdade e respeito, como qualquer cidadão brasileiro.

 

 

 

Omissão dos Senadores?
Por
Hugo Mind

Senhores Senadores,

 

 

Gostaria de denunciar a evidente fraude que o site do senado está sofrendo hoje, a enquete que foi colocada durante todo o mês de novembro perguntando se éramos a favor do projeto de lei que pune a discriminação contra homossexuais tinha sido retirada no início do mês, justamente por ter sido invadida, na época ela já apresentava meio milhão de votos o que chamou a atenção de sua agência e acabou apurando a invasão.

Depois de terem melhorado a segurança a enquete, vinha recebendo uma média de 10 votos a cada 10 segundos, ontem foi dada por encerrada a meia noite, mas hoje retornou e após isto
vem recebendo uma votação acima da média sendo de 30 a 50 votos a cada 10 segundos, exatamente igual a como estava acontecendo no dia em que foi invadida no início do mês.
O “Sim” está despencando rapidamente, peço que tomem providências e que não lavem suas mãos, já foi terrível o que passamos com esta enquete durante todo o mês, isto só serviu pra aumentar a intolerância de fanáticos religiosos contra a minoria homossexual,
Espero que o Senado cumpra com seu dever e seus objetivos os mesmos que foram totalmente desrespeitados quando esta enquete foi colocada no site, todos sabemos que um dos objetivos constitucionais é promover o bem de todos, como está muito bem descrito no artigo terceiro:

Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:
[...]
IV - promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

 

A enquete colocada no site do senado desrespeitou um dos principais artigos de nossa Constituição:
“Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade

Bom, se todos são iguais e a discriminação não pode existir de qualquer natureza, porque alguns hotéis, motéis, restaurantes muitas vezes impedem a entrada ou a permanência de homossexuais, porque quem discrimina não vai preso? Por que homossexuais podem ser demitidos simplesmente por causa de sua orientação sexual? Todos sabemos que orientação sexual não é questão de escolha, será que alguém se lembra do dia em que escolheu ser heterossexual?
Então, por que não existe a igualdade proclamada no artigo quinto? A resposta é simples justamente porque o Poder Legislativo se omitiu, foi na contramão dos objetivos e direitos e garantias constitucionais e nunca fez uma lei sequer pra que valesse de fato esta igualdade, será que agora ainda querem lavar suas mãos e jogar pra uma maioria decidir o destino de uma minoria? Será que vamos ter que tolerar eternamente sermos vistos internacionalmente como um dos países com crimes motivados por homofobia do mundo?
A enquete colocada no site está longe de ter promovido um debate público, o que vimos foi um aumento do ódio, da intolerância, grupos de fanáticos religiosos se uniram através de blogs, Orkut e outros sites de relacionamento, promovendo mais ódio e intolerância, existem comunidades que inclusive pregam a pena de morte a gays, que manifestarem sua afetividade em público, alguém ainda duvida que precisamos da lei que pune crimes com motivação homofóbica?

 

Os fanáticos religiosos ensinaram durante todo o mês como burlar a votação desta enquete, o site do Senado foi invadido no início do mês justamente pra favorecer o “não” e agora neste momento está se evidenciando mais uma invasão, será que os senhores senadores vão simplesmente ignorar estes fatos? Vamos deixar pra depois e continuar convivendo com mortes, agressões e injustiças? Gostaria também de entender porque a enquete não perguntava se éramos a favor da discriminação que idosos e deficientes também sofrem, já que estes fatos também fazem parte do projeto de lei, Por quê? Seria muito estranho perguntar se velhinhos podem ser discriminados, mas pra homossexuais não parece estranho para o Senado fazer a pergunta? Por que homossexuais são tratados como classe inferior quando se discutem leis, mas não quando pagam seus impostos e nem quando vão as urnas?

 

 

Protesto enviado a agencia@senado.gov.br  


E a todos os senadores:

flavioarns@senador.gov.br, fatima.cleide@senadora.gov.br, paulopaim@senador.gov.br, patricia@senadora.gov.br, inacioarruda@senador.gov.br, leomar@senador.gov.br, geraldo.mesquita@senador.gov.br, paulo.duque@senador.gov.br, wellington.salgado@senador.gov.br, gilvamborges@senador.gov.br, demostenes.torres@senador.gov.br, eliseuresende@senador.gov.br, romeu.tuma@senador.gov.br, jonaspinheiro@senador.gov.br, arthur.virgilio@senador.gov.br, cicero.lucena@senador.gov.br, papaleo@senador.gov.br, cristovam@senador.gov.br, josenery@senador.gov.br, antval@senador.gov.br, adelmir.santana@senador.gov.br, alfredon@senador.gov.br, almeida.lima@senador.gov.br, augusto.botelho@senador.gov.br, cesarborges@senador.gov.br, delcidio.amaral@senador.gov.br, crivella@senador.gov.br, marco.maciel@senador.gov.br, edison.lobao@senador.gov.br, ecafeteira@senador.gov.br, eduardo.azeredo@senador.gov.br, eduardo.suplicy@senador.gov.br, efraim.morais@senador.gov.br, expedito.junior@senador.gov.br, fernando.collor@senador.gov.br, flexaribeiro@senador.gov.br, francisco.dornelles@senador.gov.br, garibaldi.alves@senador.gov.br, gerson.camata@senador.gov.br, heraclito.fortes@senador.gov.br, ideli.salvatti@senadora.gov.br, j.v.claudino@senador.gov.br, joaquim.roriz@senador.gov.br, jarbas.vasconcelos@senador.gov.br, jayme.campos@senador.gov.br, jefperes@senador.gov.br, joaodurval@senador.gov.br, joaoribeiro@senador.gov.br, jtenorio@senador.gov.br, jose.agripino@senador.gov.br, jose.maranhao@senador.gov.br

katia.abreu@senadora.gov.br, lucia.vania@senadora.gov.br, magnomalta@senador.gov.br, maosanta@senador.gov.br, marconi.perillo@senador.gov.br, maria.carmo@senadora.gov.br, mario.couto@senador.gov.br, marisa.serrano@senadora.gov.br, mercadante@senador.gov.br, alvarodias@senador.gov.br, mozarildo@senador.gov.br, neutodeconto@senador.gov.br, osmardias@senador.gov.br, simon@senador.gov.br, raimundocolombo@senador.gov.br, renan.calheiros@senador.gov.br, renatoc@senador.gov.br, romero.juca@senador.gov.br, rosalba.ciarlini@senadora.gov.br, roseana.sarney@senadora.gov.br, sergio.guerra@senador.gov.br, sarney@senador.gov.br, sergio.zambiasi@senador.gov.br, serys@senadora.gov.br, siba@senador.gov.br, tasso.jereissati@senador.gov.br, tiao.viana@senador.gov.br, valdir.raupp@senador.gov.br, valterpereira@senador.gov.br

 

 

 


Escrito por Mel às 16h49 Comentários Envie

Apelo Público

27/11/2009

Meus amigos(as).

Pelo Amor-de- Deus , vamos V O T A R !!!!!!!!!!!!!!

Entre no site da Agência do Senado e coloquem seu voto "SIM" na enquete que está sendo realizada no momento sobre a aprovação da lei que pune a discriminação contra os homosexuais.

Não percam tempo, façam campanha! Os adversários estão fortes e a enquete termina nessa segunda feira!

Aqui está o link:  http://www.senado.gov.br/agencia

Eu conto com seu apoio.


Escrito por Mel às 21h15 Comentários Envie

Violência Psicológica

26/11/2009

 

 

Violência psicológica é a agressão emocional que na minha opinião, é tão ou mais grave que a física. É o comportamento típico de quem ameaça, rejeita, humilha, descrimina, faz jogadas sentimentais, sem contar a violência moral da difamação, da calúnia e injúria.

Quando a gente lê algo assim pensa logo nas agressões às mulheres, mas existem inúmeros casos ao contrário também, sem contar os contra idosos; idosos contra seus familiares, filhos contra pais; pais contra filhos; pais contra filhos adotivos, e por aí vai.

Muitas vezes a repressão nos impede de ter consciência de nossos sentimentos, e por desconhecermos nossos medos mais profundos levantamos muralhas enormes de defesa, que muitas vezes são externadas através da violência. Acredito que a linha tênue entre o desequilíbrio e o equilíbrio seja o nosso auto- conhecimento.

A discriminação nada mais é do que a arrogância e o orgulho de pensarmos que somos melhores que os outros e por trás dessa violência tão comum, está o medo e a baixa estima.

É difícil da pessoa agredida se dar conta da imensa fragilidade do seu agressor, por isso é perigoso o julgamento precipitado e o revide, pois estaríamos sendo iguais a ela.

Eu sei que o sangue da gente ferve nessas horas, porém o que nos diferencia dos animais é o “pensar”, o” re- conhecer”.

Outro ponto importante é não só compreender as razões de quem o agrediu (falhas na educação, diferenças culturais), mas conhecer a si próprio para não cair na armadilha da auto piedade.

 Uma verdade é que, se alguém lhe agrediu emocionalmente é porque por algum motivo você permitiu, mesmo que seja por sentir-se vitimado.

Este assunto é complexo e intrigante, mas toda a base eu creio , esteja no seu auto conhecimento profundo.

Coisa difícil, mas não impossível!

Boa sorte!

 

 

 

 

 


Escrito por Mel às 12h45 Comentários Envie

Coisas de Criança

16/11/2009

 

 

 

Quando a gente é criança e sozinha como eu fui, normalmente nós criamos uma amiga imaginária para brincar ou para contar os segredos mais profundos. A minha se chamava Isabella, tinha cabelos compridos, encaracolados e ruivos. Ela me acompanhava em tudo. Quando eu não a chamava por que estava de mal, ainda assim ela ficava por perto, sentada num canto balançando  as perninhas , só me espiando.Foi com ela que  fui no meu primeiro dia de escola, e ela teve medo da professora gorda que gritava com a gente.

Dentro do meu quarto eu escondia também um ursinho – que só eu e Isabella podíamos brincar, era o nosso amigo inseparável, o qual a gente alimentava com comidinha feita de folhas do jardim e pedrinhas.

Eu não me lembro bem minha idade exata, acho que tinha uns seis anos quando minha mãe contratou uma faxineira. Ela tinha um filho da mesma idade que eu e Isabella - o Pelé- o trazia todas as semanas pois não tinha com quem deixar o menino. Brincávamos sempre os três, sem que ele soubesse da existência da minha amiga fantasma, claro.

A amizade foi crescendo, crescendo, a intimidade inevitavelmente também e eu não entendia porque minha mãe ficava sempre alerta quando ele me chamava para brincar lá no fundo do quintal, onde haviam algumas árvores de frutas. Ela dizia que meninas não podiam ficar sozinhas com meninos, meninas não sobem em árvores e não devem se sujar como eles. – brinque de boneca!

Um dia o Pelé me deu um beijo. Eu fiquei com o rosto todo vermelho , com medo que minha mãe soubesse, pedi para Isabella não contar nada pra ninguém e ela jurou que sim.

Eu pensava - será que é assim que a gente faz nenê? Acho que não, um beijo só não pode fazer crescer a barriga daquele jeito, deve precisar de muitos. Isabella concordava comigo sobre esse assunto.

Semanas se passaram e o Pelé não me beijou mais.

Porém, numa tarde que estávamos brincando ele me chamou para ir ao banheiro. Eu disse que não podia, minha mãe não deixava. Ele disse:  sua boba, ninguém vai contar pra ela, e depois eu não vou fazer nada, só quero te mostrar uma coisa, é rapidinho.

Eu fui.

Pelé baixou o calção rápido e me mostrou o seu pipi (era assim que eu chamava aquilo que os meninos tinham de diferente de mim) Pediu pra que eu mostrasse o meu “pipi -diferente- do - dele”, e eu envergonhada, baixei minha calcinha só um pouquinho, bem rápido, com medo de alguém chegar. Enquanto isso, Isabella me incentivada a chegar mais perto do Pelé para tocá-lo como ele pediu...

Sem saber o que era aquilo que estava sentindo, eu apertava minhas pernas uma contra a outra e achava bom. Avancei um pouco e passei meu dedo indicador de leve sobre a pele do pipi do Pelé. A pele era macia e o dito cujo estava durinho. A essa altura já haviam passado alguns minutos e eu ouvi de longe minha mãe me procurando. Saí correndo como um foguete do banheiro, apavorada, deixando o Pelé por lá .Durante muitos dias eu não conseguiria mais olhar no seu rosto.

A Isabella para piorar minha situação, dizia que agora sim eu iria ter um bebê,  seria filho do Pelé, afinal eu até passei meu dedo “naquilo” dele!

Eu agora só tinha meu ursinho amarelo de amigo que não me lembrasse daquela “tragédia”. Sim, acho que eu me esqueci de dizer que o ursinho era amarelo.

Dei graças a Deus quando minha mãe disse que não poderia mais pagar a faxineira e ela não viria mais- assim como o Pelé- e para sempre eu estaria livre da minha primeira  aventura com “pipis”!

 

Isabella sabe das outras.

 

 

 


Escrito por Mel às 14h09 Comentários Envie

C u R i O s O

09/11/2009

 

 


Escrito por Mel às 10h34 Comentários Envie

"O Amor é tudo"

28/10/2009

 

Nós sempre discutimos a maneira de amar. Conceituamos o que é certo ou errado, com quem devemos partilhar nossas emoções, ou a quem devemos amar para ser socialmente aceitos. Mesmo levando em conta a abertura maravilhosa para a diversidade sexual, ainda no fundo da essência da questão, o amor propriamente dito, muitas vezes  fica relegado à segundo plano.

O importante é amar, não importa a quem, se é ou não do mesmo sexo, raça ou cor.  Deixe o amor acontecer... simplesmente assim.

Este é o tema do vídeo da banda alemã Rozenstolz . Ela é formada por duas pessoas apenas, AnNA R .  & Peter Plate , este último é o garotão  da foto acima, homossexual. Lindo ele, né?

São bastante famosos não só na Alemanha, onde já ocuparam o primeiro lugar( Media Control), como na Austria ( também primeiro lugar) e na Suíça. No vídeo, a dupla mostra o amor entre duas pessoas, enfocando tanto homossexuais masculinos, como femininos  e ainda um casal hétero. Resumindo, o importante é amar, não importa como, quem ,nem quando!

Aqui vai a letra para vocês acompanharem e logo abaixo o link do vídeo.Tentei colocar a tradução mas excedeu  meu limite do texto, então quem quiser me deixa um recado que eu mando por e-mail.

 

Liebe ist alles:

(O Amor é tudo)

Hast du mir ein Wort zu sagen
nur ein Gedanken dann
lass es Liebe sein
Kannst du mir ein Bild beschreiben
mit deinen Farben dann
lass es Liebe sein
Wann du gehst wieder gehst
Schau mir noch mal ins Gesicht
sags mir oder sag es nicht
Dreh dich bitte nochmal um
und ich sehe in deinem Blick
Lass es Liebe sein lass es Liebe

Hast du nur noch einen Tag
nur eine Nacht dann
lass es Liebe sein
Hast du nur noch eine Frage
die ich nie zu fragen wage dann
lass es Liebe sein
Wann du gehst wieder gehst
Schau mir noch mal ins Gesicht
sags mir oder sag es nicht
Dreh dich bitte nochmal um
und ich sehs in deinem Blick
Lass es Liebe sein lass es Liebe sein
Das ist alles was wir brauchen
noch viel mehr als gro
βe Worte
Lass das alles hinter dir
fang nochmal von vorne an

Denn

Liebe ist alles
Liebe ist alles
Liebe ist alles

Alles was wir brauchen

Liebe ist alles
Liebe ist alles
Liebe ist alles

Alles was wir brauchen

Lass es Liebe sein

Das ist alles was wir brauchen
noch viel mehr als große Worte
Lass das alles hinter dir
fang nochmal von vorne an

Denn
Liebe ist alles
Liebe ist alles
Liebe ist alles

Alles was wir brauchen

Lass es Liebe sein
Lass es Liebe sein 

 

Aqui o link do vídeo:  espero que gostem!

http://www.youtube.com/watch?v=fWb5PgrrJXU

 

 



Escrito por Mel às 17h12 Comentários Envie

Formatura

16/10/2009

 

 

 

 

 

 

 

 

Ontem conversávamos sobre a formatura do meu filho. Devemos começar a pagar mensalmente um valor “X”, para lá no final do curso estar tudo certo para o grande dia. Lógico que esta será especial, afinal é o meu filhão se formando médico! Quando é com a gente é bem mais gostoso, pois em geral as formaturas são terríveis de se aguentar. Lembro-me de ter ido à bem poucas, mas uma em especial, ficou marcada na memória pela tremenda chatice. A formatura do meu cunhadinho nº2, o caçula da casa.


Eram 12 formandos (10 mulheres e 2 homens), incluindo uma senhora que deveria ter por volta de 75 anos e que, verdade seja dita, foi a coisa mais legal da noite.
O evento estava marcado para as 18h30. Eu, me sentindo “a” malandra, cheguei lá 19h45, crente que ia fazer um bonito de aparecer, posar de “presente” na família, já que o marido querido estava viajando, e aturar uns quinze minutos de cerimônia. (Porque meus planos originais ainda incluíam ir ao supermercado depois.) Quando cheguei, o auditório estava totalmente lotado, passava um vídeo de homenagem a algum professor (que provavelmente morreu ou foi embora) e os formandos cantavam “Amigo é coisa pra se guardar do lado esquerdo do peito” acompanhados por um solitário violino.

Je-sus.

Como estava muito cheio, tratei de ficar atrás de todo mundo, sentada numa escadinha, onde daria até para sacar meu MP3 player da bolsa e ficar ouvindo, bem autista, sem chamar muita atenção. Mas não deu certo, porque Sogrinha me viu e começou a acenar enfaticamente, e não tive jeito a não ser sentar numa cadeirinha que ela, fofa, tinha guardado ao lado dela. Assisti ao discurso que a paraninfa leu. Discurso lido eu acho péssimo. (“Foi com imensa surpresa que recebi o convite para ser paraninfa dessa turma, convite feito no meio do burburinho dos corredores...”) Mas não contente, tinha uns trechos que ela cantava. Teve também uma série de esquetes teatrais feitas pelos formandos em que eles imitavam os professores. Assim, uma homenagem, sabe? Eles riram muito, mas naturalmente 95% dos presentes, que nunca tiveram aulas com aqueles mestres, não entenderam nada. Depois teve um número musical para cada professor.  Teve entrega dos diplomas, um a um, com videozinhos de cada um. Teve discurso de agradecimento, de cada um (e pelo menos 10 dos 12 foram assim: “queria agradecer, em primeiro lugar a Deus, blablabla, em seguida, à minha família, minha mãe, meu pai, porque se não fosse por eles... – choro – e a essa turma maravilhosa, que é minha segunda família etc etc.”). Teve juramento em frente à bandeira nacional (que tremulava no vídeo, numa animação que me deixou meio tonta). Teve música até para agradecer aos funcionários!
 Às 21h eles estavam começando a se auto-homenagear musicalmente, isto é, todos cantavam e tocavam uma música para cada um. (Já falei que eles tocam super mal?) E eram músicas do Raul Seixas, Caetano Veloso, do Clube da Esquina (Alô Arembepe! Alô Mauá!). Sim, tinha esse clima hippie que não posso deixar de mencionar. Eles estavam todos descalços. E as moças todas de vestidos longos, mas não vestidos de gala, e sim vestidos ou saias hippies até os pés. Só tinha uma que estava de gala, e era a única destoante que não estava descalça porque estava com uma sandália de salto com pedrinhas de strass, que combinava com o vestido e com o cabelão até a cintura. Até a senhora de 75 anos estava descalça. Minha sogra estava emocionada, e só se abalava quando alguém ficava na frente lhe tirando a visão do filho (formando).
O negócio foi acabar lá pelas 21h40, com todos eles cantando nem sei mais o quê e abraçados numa rodinha chorando. Aplausos, aplausos. A essa altura meu supermercado já tinha ido pro espaço.
Seguimos então para o programa família, com o nobre formando, que, naturalmente, foi acompanhado daquela que seria atualmente minha cunhada (mas não é).

Pizza. Ainda bem que pelo menos essa salvou a minha noite!
Em horas como essa que eu faço um esforço maior para acreditar em que haverá um julgamento final e que todos seremos julgados de acordo com nossos atos. Com essa família eu estou acumulando uma porção de pontos.

 

 


Escrito por Mel às 15h23 Comentários Envie

Marcelle's

09/10/2009

 

Marcelle me contava que, ano passado, foi a uma festa e prometeu que, se beijasse na boca naquele dia, jogaria flores para Iemanjá no reveillon. Dito e feito. Naquela festa ninguém mais beijou na boca, entre as amigas. Só ela! Viu que a coisa funcionava. Arriscou: se alguém a pedisse em namoro ainda naquele ano, mandaria um barco para Iemanjá. Pois alguém foi lá e pediu. A verdade é que ela não aceitou o pedido do namoro. Mas como a promessa era essa, viu-se obrigada a pagar. Ela então me contou animada:
 “Fui na casa de macumba e pedi o barquinho mais discreto que havia. 'Se tiver uma canoa, moça, melhor ainda'. Não tinha, claro. A vendedora me falou: 'Se está querendo arranjar
marido, melhor levar um barco grande'. Comprei, é claro, mesmo que meu alvo não seja exatamente um marido e sim uma marida né. E quando me perguntaram o que eu ia colocar no barco, fiquei surpresa: 'Ué, ainda tem que colocar coisa dentro?!'. Então na própria loja descobri que tinha um 'kit', um 'kit Iemanjá', vê se pode. Menina, você não imagina a vontade que tenho de ter uma namorada, acho que dessa vez não passa!
--
Não brinca?!

"Pois é. Eu nunca pensei que pudesse mudar meu gosto assim”

Esse foi um pequeno papo no MSN e na verdade não é bem a oferenda pra Iemanjá que eu quero comentar.

A Marcelle é uma amiga de vários anos , bem humorada , bonitinha e anda sempre correndo de namoros mais sérios, quer só ficar, ficar com garotas, ainda que não se auto defina homossexual.

É estranho como as moças de hoje tem certa tendência a querer experimentar relacionamentos com mulheres, apoiando-se no fato de que os homens não dignos delas, não sabem como tratar uma mulher e bla- bla- bla-bla.

Não quero me arriscar a dizer que virou modismo, haja vista a quantidade enorme de comunidades  orkutianas  de “elas & elas”. Tudo virou festa e ali nem se fala em qualquer tipo de problema em assumir essa faceta , nenhum preconceito , a palavra homofobia não existe!Só na realidade.

Pois bem, aonde quero chegar? Sou contra as sapinhas? Claro que não! Sou contra os exageros, aos títulos mal esclarecidos e ao pessoal “Maria-vai-com-as-outras”.

Se as pessoas são homossexuais e querem procurar seus parceiros, tanto homens quanto mulheres, está tudo ótimo, nada mais natural do que isso.

Só que existem zilhões de Marcelles por aí ficando, iludindo-se em nome de um modismo falso. Depois a cabecinha fica enrolada e caem em depressão! Sexualidade é coisa séria gente.

Eu acredito que muitas queiram apenas uma aventura, provar algo novo, e até aí eu não reprovo ninguém, acho mesmo que na Vida deve-se experimentar de tudo sem preconceitos, mas não acho legal levantar bandeira dizendo ser aquilo que não é.

Eu duvido muito que algumas dessas garotas (ou talvez fakes ), teriam a coragem de enfrentar a barra como uma lésbica enfrenta. Ser lésbica ou ser gay, todos sabemos que vem desde o berço, nas veias. Não é passageiro , não se é lésbica por três meses e depois tem uma recaída com um gatinho lindo. Não existe lésbica ou gay só por um período. O que se vê nesses grupos de pseudo-modernos-gays  são pessoas que sempre se interessaram por pessoas do sexo oposto e agora,parece que acharam uma maneira  legal de ser diferente, de estar em evidência.  Mas ninguém assume, claro.

Infelizmente estas pessoas acabam deturpando suas emoções e destruindo sentimentos que poderiam ser bem melhor aproveitados se fossem encarados com alguma  maturidade. O pior é o exemplo que fica para outras cabecinhas , tão inexperientes quanto estas.

Que as Marcelles da Vida possam levar seus barquinhos  para Iemanjá  com mais clareza do que querem pedir!

 

 

 

 

 


Escrito por Mel às 17h56 Comentários Envie

Arco Íris

28/09/2009

 

 

Por um acaso vocês conhecem o significado da nossa bandeira GLBT, o arco íris?

Eu particularmente fico encantada quando vejo um de verdade no céu, acho algo místico, lindo, e me dá uma profunda sensação de paz. Encontrei vários significados, todos igualmente interessantes.

O arco íris aparece depois da chuva, a luz branca do sol reflete em cada gota de água. Essa reflexão divide o espectro de cores e, dependendo da posição que você esteja, pode ver o efeito característico.

 O primeiro a tentar explicar teoricamente o que era um Arco Íris foi Descartes em 1637. Ele fez uma experiência jogando uma fonte de luz numa esfera de água e verificou a presença do arco. Ele só não sabia o porquê das cores.

Isaac Newton foi o primeiro a demonstrar que a luz branca na verdade é uma composição de cores e, com um prisma, ele separou o espectro colorido explicando em definitivo o que é o Arco Íris.

 

Na Bíblia, em Genesis 9:13 diz que o arco íris é um sinal de aliança entre Deus e os homens. Isso foi o resultado de um pacto após o grande dilúvio, entre Deus e Noé (o velhinho da arca) e consequentemente com a humanidade.

“Ponho meu arco nas nuvens; este será por sinal da aliança entre mim e a terra. E acontecerá que, quando eu trouxer as nuvens sobre a terra, aparecerá o arco nas nuvens. Então me lembrarei da minha aliança, que está entre mim e vós, e entre toda alma vivente de toda a carne; e as águas não se tornarão mais em dilúvio para destruir toda a carne."

Esta é a versão mulçumano-católico-judaico para o Arco Íris, que na verdade esse nome não é nem católico, a Bíblia só menciona o Arco.

 

Íris vem da mitologia grega, é filha de Taumante e Electra

Ela é a mensageira entre os deuses (em especial Zeus e Hera) e os homens.

É leve, alada e veloz. O arco representa o caminho percorrido pela mensageira. Sacaram? Arco-Íris!

 

Os chineses tem sua explicação própria também. Tudo começou com a deusa Nüwa. Ela foi a criadora da humanidade. Após se sentir sozinha no mundo, Nüwa começou a fazer bonequinhos de lama, tanto homens como mulheres, a sua imagem e semelhança. Nessa mitologia também houve um grande dilúvio. Os deuses da água e do fogo começaram a brigar e, como conseqüência, um rasgo apareceu no céu fazendo a água do lago celestial vazar para a terra. Nüwa tratou de fechar esse rasgo e para isso usou pedras coloridas. O Arco Íris seria esse remendo feito por Nüwa.

 

 


Os irlandeses também tem sua história com o Arco Íris. Lá existe a lenda dos Leprechauns, uma espécie de duende. São seres esquisitos, com um humor bem instável. Estão felizes e rapidamente ficam tristes. São meio bipolares e por conta disso não conseguem viver em sociedade. Assim os leprechauns são muito solitários. Todos eles possuem um grande pote de ouro. Esse pote costuma ficar escondido no fim do Arco Íris. Para achar esse ouro você precisa capturar um leprechaun. Coisa difícil, pois eles ficam invisíveis rapidamente. Para pegar um você precisa olhá-lo antes que ele te veja. Assim ele fica dócil. Mas é necessário ficar encarando o carinha, pois se você piscar, ele desaparece. Se conseguir a façanha, pode pedir que ele te leve ao pote de ouro.

 

A cultura nórdica também tem um lugar especial para o Arco Íris. Ele é a ponte que liga o Asgard (terra dos deuses), onde mora Thor, deus do Trovão e a Midgard (terra dos homens). Seu nome é Ponte Bifrost (também conhecida como Asbru).  Essa ponte foi construída pelos Aesir e é guardada pelo Heimdal. No Ragnarok essa ponte será destruída. O Ragnarok é algo como o fim dos tempos. A coisa vai ser tão feia que até os deuses vão desaparecer!

 

 

Na mitologia hindu o tal arco é chamado de Indradhanush. Indra é o deus da guerra, dos raios e trovões e esse nome esquisito significa “arco de indra”.

 

No Candomblé o Arco Íris é associado ao Oxumaré. Ele é um dos orixás e tem dualidade quanto ao sexo. As vezes se apresenta como homem, as vezes como mulher. Na verdade ele trabalha metade do ano como homem e metade como mulher. O engraçado é que a porção homem do Oxumaré é representado pelo Arco Íris e a metade mulher por uma serpente. Sacanagem isso...

 

 

Brincadeiras à parte, eu respeito e gosto muito de Oxumaré, aliás, que ninguém se meta a desrespeitá-lo ou a não cumprir aquilo que a ele prometer.

Ele é um Orixá bastante severo.

 

Finalmente, voltando ao início da conversa, nossa comunidade gay adotou o arco-íris como bandeira desde os anos 80.

Essa bandeira já era usada anteriormente por outros grupos e tem seu significado como paz, internacionalismo e unidade entre os povos.

 

De todas as culturas, mitos, eu prefiro ficar com a essência contida nas entrelinhas de cada uma, a paz, a alegria e harmonia entre os homens, traduzidas tão bem na canção “Somewhere Over The Rainbow” de Israel Kamakawiwo.

 

 

http://www.youtube.com/watch?v=pAIKznMPXUk

 


Escrito por Mel às 16h02 Comentários Envie

Homenagem Póstuma

22/09/2009

 

 

Neste mês aconteceu um fato triste. O falecimento de um familiar, tia Zilda.

Teve um derrame, ficou em coma 20 dias e desde o início os médicos haviam dito que não teria a menor chance de sobrevivência, era só esperar a morte. Esse tipo de coisa é angustiante, ficar esperando uma notícia fatídica, cada vez que o telefone tocava o coração batia acelerado. Bem, o fato é que juntamente com a tristeza dos mais íntimos, acontecem coisas hilárias nesse processo de morre-não-morre. Alguns parentes ligavam para saber como ela estava, ou melhor, como teria um feriado, pretendiam viajar e queriam saber se ela iria morrer logo ou não, outros até ligaram para dar os pêsames antes da hora.

Era seu desejo ser enterrada em Lins onde nasceu, cidade do interior de SP, ou seja, todos daqui precisavam se programar para uma viagem e nisso, inclusive eu me preparava a cada dia, adiantando meus compromissos aqui na empresa. A certa altura, estávamos todos de malas prontas para o velório, só faltava o defunto morrer.

Passados alguns dias, os médicos deram a noticia de morte cerebral, só restavam parar os outros órgãos, seria questão de horas.

Aqui abro um parêntese para falar de algo muito importante. Após a morte cerebral seria o momento exato para doar seus órgãos que estavam perfeitos, pois só tinha sido afetado o seu cérebro! Porém, por falta de conhecimento, por falta de terem um dia conversado sobre este assunto, os familiares não aceitaram fazer a doação. Poderiam ter sido salvas pelo menos cinco vidas com rins, fígado, coração, medula, sem contar as córneas, pele, etc. Uma pena, tentei conversar, mas nessa hora é delicado demais você tentar fazer alguém mudar de idéia sobre o que fazer com o corpo da pessoa amada. Por isso, eu lanço aqui um pedido: que conversem com o maior numero de pessoas possível, façam campanha para doação de órgãos, é muito egoísmo enterrar alguém e dar para os vermes, órgãos sadios que poderiam beneficiar tantas pessoas!

Mas voltando para o velório (que ainda nem tinha começado)...

Assim que anunciaram a tal morte encefálica, uma irmã da finada mais experiente no assunto, já se prontificou a cuidar dos trâmites. E assim foi feito, muito a contra gosto de alguns, pois afinal a tia Zilda não tinha morrido efetivamente ainda e o caixão já estava comprado, coroas escolhidas com dizeres de “saudades de seus familiares” , acertada a preparação do corpo para a viagem, tudo certo...  Isso deu briga, com certeza! Onde já se viu comprar caixão pra gente viva! Será que fazem mais barato?

Bem, depois dos acertos funerários, passaram-se dois dias e nada da tia Zilda morrer. Isso eu não estranho, pois com meu  tio aconteceu algo semelhante, prepararam o caixão e a sepultura, pois os médicos também haviam dado algumas poucas horas pro velhinho e ele durou mais um ano e meio...

Enfim, numa sexta feira chuvosa, a tia Zilda faleceu. Sim agora foi... essa era a resposta que davam quando ao passar a notícia perguntavam: “ mas agora morreu mesmo?”

A notícia já se espalhou pelos parentes que moram no interior, e daí começou a vir gente de todo canto. Lá, o velório começou por volta das 16:00h. Isso mesmo, no interior as pessoas começam o velório mesmo sem o morto. Aliás, aqui em São Paulo, nesse mesmo horário, tia Zilda nem havia saído do hospital. Depois ainda tinha que ir para um local onde se preparam corpos que vão demorar muitas horas para ser enterrados, como no caso que iria para viagem (não é delivery).

É costume antigo por lá, providenciarem “comes e bebes”, tira- gostos para os que comparecem para visitar o morto, isto é, a cidade toda. Não é só um cafezinho com biscoitos não, tem pastel, sanduíche com frios, bolinhos, coxinhas, refrigerante, cerveja, a coisa é boa. Aquelas mulheres mais dadas à cozinha ficam encostadas no fogão só para abastecer o pessoal do velório, mas a conta do supermercado vai para a família da finada, claro.

Eu cheguei lá às 23:30h mais ou menos, com a bunda doendo de tanto estar sentada, a cara cansada de sono, e ainda teria que agüentar muito pela frente. Resumindo um pouco, porque senão eu serei a próxima defunta, o tal caixão que estava comprado há vários dias deveria chegar no máximo, pelas minhas contas, à 01:00h de sábado, o enterro seria às 17:00h. Para os presentes, 25 horas de velório, sendo boa parte dele, sem morto. Acontece que o motorista do carro funerário errou o caminho e foi parar em Araçatuba. Perdeu-se pela rodovia e só conseguiu ligar para o celular de alguém as quatro e tantas da madrugada. Alguns já tinham dormido, outros chegavam e entravam no ritmo das conversas animadas e nada de defunto. Eu mesma fui cochilar na casa de outra tia, esperando uma cama quentinha e macia... ahh que falta faz a nossa cama nessas horas! O melhor que foi arranjado na casa que já estava cheia de parentes, foi um banco de cimento frio na varanda, de 25cm de largura, nem o meu filho que é ultra magro cabia ali. Acordei meia hora depois com os berros de uma mulher na porta, era a irmã indignada, tinha chegado o carro com o caixão, errado... Calma, a morta estava certa, só o caixão que estava errado, não era aquilo que ela tinha comprado. Brigou, teve um ataque histérico, porque ela tinha escolhido um bem bonito e estavam entregando um de terceira categoria.

 E as flores? Onde estão as flores? Vieram meia dúzia de pétalas murchas, o corpo quase descoberto, um escândalo! Conclusão, todos os preparativos fúnebres feitos até antes da pobre morrer, deram errado e agora tinham que chamar a funerária local para dar um jeito naquilo, a mulher estava quase pelada no caixão .Nisso já eram 6:00h da manhã, o sol já estava alto e o povo firme no café com pão. Eu só temia que aquela geringonça desmontasse na hora de carregar!

Minutos depois, enfim um velório de verdade, com direito a defunto e tudo. Declamações emocionadas ao redor da tia Zilda feitas por gente que nem sei se a conhecia!

Se eu contar todos os detalhes hilários que aconteceram aqui, com certeza alguns vão desistir e nunca mais voltar,então sensata que sou, vou acabar logo com a festa, ou melhor, com a história. Uma alma caridosa convenceu o marido da finada a antecipar o enterro para as 14:00h, ninguém agüentava mais aquele calor infernal, o cansaço e o sono. Seis homens pegaram as alças do caixão e seguiram andando a pé para o cemitério. Andando é a maneira de dizer, eles corriam literalmente. 

Soube depois que aceleraram o passo porque estavam ouvindo estalar a madeira fraca do fundo do caixão. Alguém aqui pode imaginar a cena ?

 

Assim se encerrou a passagem da tia Zilda por essa vida. Que Deus a tenha!

 

 

 

 


Escrito por Mel às 17h58 Comentários Envie

"Comprometidos"

18/09/2009

Foi este blogue agraciado com o prémio

Comprometidos y Más 2009

pelo blogue "Blog do Tiago+".



Este prémio foi concebido para assinalar blogues comprometidos culturalmente, politicamente, socialmente..., por isso devo nomear cinco blogues que na minha perspectiva reúnam os requisitos nele assinalados.




Assim como citou meu grande amigo Tiago, receber um prêmio nessa etapa da minha vida é extremamente gratificante e incentivador! Além disso, esse fato fez com que eu desejasse  mudar alguma coisa para melhor nesse espaço que é de vocês. Afinal a gente tem que oferecer sempre um ambiente mais aconchegante, mais cheio de energia positiva para quem nos visita.

Acabei fazendo umas besteiras e recorri ao meu “padrinho” que como sempre me deu uma mãozona e resultou nesse visual novo que vocês estão vendo. Fala sério, ficou lindo, né?

Não sei o que dizer desse anjo que pintou na minha vida a mais ou menos 3 anos. Já joguei confetes, já fiz inúmeros elogios ao Tiago aqui e não me canso de falar, podem dizer que sou puxa saco, acho até que sou e daí? Ele merece!! 

Creio que mais significativo do que o título do prêmio, não poderia ser. “Comprometidos”

Nessa Vida somos comprometidos com diversas coisas, com ações, exemplos , com pessoas principalmente. Eu me sinto imensamente  comprometida com essa amizade entre nós, com os sentimentos maiores que dela floreceram, com os laços de afeto e bem querer que se criaram e crescem cada dia mais!

Meu amigo, você é uma pessoa iluminada por Deus, cheio de boa vontade ,  sabe nos passar bons exemplos de quem aprendeu na raça as lições mais duras que a Vida lhe ofereceu, e venceu. Transborda paz e equilíbrio do seu olhar, serenidade dosada com inteligência, que somente quem já perdeu o chão nesta Vida sabe depois encontrá-la com tanta perfeição e dar seu devido Valor!

Não preciso dizer mais nada... somente que eu lhe  admiro muito, Tiago, Quintana, Henrique, Silvio e todos os homens juntos que formam a essência do que VOCÊ é!

Obrigada por tudo!

 TE AMO

 Mel


Se devo nomear cinco blogues que, da minha ótica, estejam comprometidos de alguma forma, os meus escolhidos são:

(Sinto muito, mas eu tenho que devolver a bola para o 1º lugar)

1- blogdotiago-mixbrasil.zip.net

2- blogodofabricio-mixbrasil.zip.net

3- WWW.aplausobrasil.com.br

4- WWW.pensamentosd1baunilha.blogspot.com

5- WWW.fazendoestrelas.blogspot.com


Escrito por Mel às 12h05 Comentários Envie

Vagonite

03/09/2009

 

 

Educar filhos é uma tarefa bastante complicada.

Isso todo mundo já sabe e parece até manchete de revista que se encontra em todo bom consultório de dentista ou no salão de beleza. Todos sabem aqui que eu tenho dois filhos, o mais velho é homossexual e o mais novo está com 10 anos, ao que tudo indica, hétero.  Um é o oposto do outro.  O primeiro, moreno, magro, alto, ansioso, estressado, perfeccionista , estudiosíssimo, detesta esportes, adora a leitura e as coisas intelectuais, fala bem três idiomas e não vê limites para o estudo, a pesquisa etc. Está numa fase agora de comer coisas mais saudáveis, aboliu o sal , diminui muito as gorduras e doces. Enfim , todo certinho.

 O segundo é loiro, pele branquinha, gordinho, sorridente, nada estressado, bem humorado , sem nenhum perfeccionismo.  É do tipo que estuda o necessário, é inteligente, tira boas notas, mas não se obriga a ser o primeiro da turma. Tranqüilo, muito observador , nunca se apavora frente a um desafio, faz o que pode com praticidade e pronto. Gosta de esportes , automobilismo, e joga depois que chega da escola , alternadamente no videogame ou no computador todo o tempo que lhe resta acordado . Não gosta de ler, foge do que é muito complicado e precise pensar mais que dois minutos para resolver.

Alimentação bem pouca, resumida a tudo que venha dentro de uma caixinha, latinha ou saquinho. (Mc Donald’s , sucos, batata frita, nugget’s , todinho, biscoitos, chocolates , refrigerantes)

Ambos são de poucos amigos, detestam sair de casa, não curtem festas e tampouco lugares agitados.

De alguma maneira a gente percebe intrinsecamente algo que os filhos gays tem e os outros não tem.  Desde a infância o primeiro ficava meio isolado dos outros garotos, tinha mais amiguinhas que amiguinhos, não gostava do futebol , fugia das encrencas e das brigas. Levava a fama de Nerd  por ser o mais estudioso  e eu achava que era por isso que ele estava sempre mais cercado de meninas do que de garotos, afinal as meninas são mais dedicadas.

Vejo agora o outro, que apesar de calmo, se lhe fizerem alguma coisa já parte pro pontapé . As meninas, ele acha que são muito patricinhas, e com os amigos ele pode trocar idéias sobre os jogos de PS3, PSP, Nintendo , etc. Fala as gírias de moleque da sua idade, participa de todas as brincadeiras e até tem um instinto de líder entre eles.

Toda essa apresentação floreada  deve-se a uma pergunta que ele, o filho menor, me fez outro dia:

 - Mãe , me ensina a bordar igual ao meu amigo André?

-outro dia quando eu fui lá pra brincar, a mãe dele estava ensinando a fazer um pano bordado, acho que se chama vagonite, e eu achei legal.

 

surpreso Pronto- pensei eu, será que esse também é  gay? Mas ele é tão diferente!

 

Puro preconceito, não é? Como é que a gente pode mudar os conceitos de certo ou errado que a sociedade coloca na nossa cabeça há tanto tempo?

Será que as mães em geral ensinam que os meninos podem bordar, aprender a fazer maquiagem, cozinhar, lavar, passar, e as meninas podem brincar de carrinho, jogar futebol e brincar de mecânico?

Naturalmente isso já vem acontecendo, mas algumas coisas ainda soam estranho e nos colocam em maus lençóis quando nos deparamos com elas.

Eu respondi que ensinaria se soubesse fazer o tal bordado, mas que  achava que ele não teria muito jeito para isso, não teria paciência suficiente.

No fundo eu sei que minha resposta foi sim preconceituosa e influenciando de certa maneira a ele entender que bordado não combina com meninos. Na minha cabeça isso ainda é uma verdade, sinto muito que ainda tenha esses conflitos internos.

Afinal, não é isso que determina a sua orientação sexual, fazer bordado não torna ninguém, nem mais nem menos hétero, assim como jogar futebol .

Analisando bem, ele é que foi bastante desprendido e sem neuras em expor sua vontade.

Isso é um bom sinal, talvez as crianças estejam se tornando seres menos preconceituosos, livres para fazer o que der vontade, despreocupadas com o julgamento alheio.

Quem sabe nossa sociedade esteja um pouco melhor daqui a vinte anos!

 

 

 

 

 


Escrito por Mel às 15h00 Comentários Envie

Elegante

28/08/2009

 

 

Não sei qual é o nome do culpado pela divisão das disciplinas de educação em três vertentes, mas de alguma forma, o conhecimento ficou dividido em ciências biológicas, ciências exatas e ciências humanas. Acho lindo que tudo seja tratado de forma cientifica e organizada mas temo que esta tripartição não tenha sido um bom negócio, especialmente hoje, vendo que duas pernas se desenvolveram e uma ficou atrofiada.

O homem passeia no espaço com robôs e envia imagens ao vivo, com exatidão tecnológica surpreendente. Aqui na Terra, clonam-se seres vivos e as esperanças de cura se renovam com o desenvolvimento de pesquisas com células-tronco.

O tripé do conhecimento desenvolveu pernas longas e bem torneadas para as exatas e biológicas. Infelizmente, com o crescimento das outras duas, a terceira perninha, as ciências humanas, que incluem coisas como a filosofia e a ética, ficou ali, atrofiada e penduradinha como um bilauzinho no inverno.

E isso, tem tudo a ver com a crise humana do mundo atual.

Estamos todos mais grotescos, mais rudes, mais estúpidos. Somos bem informados mas nos tornamos ignorantes. Temos automóveis com GPS , mas dirigimos como trogloditas neuróticos. Viajamos pelo mundo inteiro mas temos preguiça de procurar o baldinho de lixo para jogar o papelzinho da bala. A falta de finesse é geral. Isso tudo, se não for coisa do demo, se não for a prova definitiva de que o projeto ‘ser humano’ não deu certo, só pode ser atribuído à falta de atenção que demos às ciências humanas, justamente aquelas mais sutis, que não dependem de equações, que não se baseiam nas medições matemáticas e não podem ser testadas em laboratório.

Onde está a velha elegância do comportamento humano? Não aquela de quem faz uso correto dos talheres, mas das pessoas que elogiam mais do que criticam, das que escutam mais,  e quando falam, passam longe das fofocas e das maldades.

É possível detectar essa elegância em pessoas que não usam um tom superior quando se dirigem ao frentista, nas que evitam assuntos constrangedores porque não sentem prazer em humilhar os outros.

É elegante fazer algo por alguém sem ser necessário dizer o quanto isso lhe custou.

É igualmente elegante não ser espaçoso demais, ter uma visão generosa do mundo e estar nele sem ser arrogante.

Abrir a porta para alguém, dar o lugar para outro sentar, ceder sua vez, oferecer ajuda? "C'est tres elegant"

Sorrir, sempre é muito elegante e faz um bem danado para a alma...

Olhar nos olhos ao conversar. Essencialmente elegante.

Falar em tom baixo, é tão elegante quanto educado.

Educação cabe em qualquer bolsinho...e se não usar, enferruja!

 

Vamos fazer uma pausa pra refletir nisso?

 

 

 

 

 

 

 


Escrito por Mel às 15h07 Comentários Envie

Reflexões

14/08/2009

 

 

Acho que agora meu blog está no ar!

 

Tanta coisa aconteceu, não é? Até o Michael Jackson morreu nesse meio de tempo.

Terminei minha faculdade  , minha gata morreu, fiz exames de sangue e deu tudo negativo, até HIV. Fiz também algumas travessuras das boas que não posso contar aqui, aquelas que deixam a gente com sorriso até as orelhas e gostinho de quero mais...

 

O filhão vai muito bem está mais gordinho, o que não significa muito, mas já estou contente com os 59 Kg inéditos. Com essa história de gripe suína, todo mundo de férias esticadas em casa, dormindo até tarde, comendo o dia todo na frente da TV ou do computador, o resultado só podia ser um aumento na balança. Não sei se só a boa vida (caseira) está sendo o motivo de tanta satisfação ou se o coração está batendo mais rápido por alguém.  A mamãe mel não costuma se enganar, acho que tem peixe nessa rede. Telefonemas demoradíssimos, MSN até de madrugada com um “grande amigo”...suspiros e mais suspiros. Efeito borboleta no estômago-

Eu sei que vocês acham que, com tanta abertura que existe entre nós, ele deveria ter me contado, já que sempre tivemos diálogo super aberto. Eu, cá nos meus botões, também acho!

Não vou mentir pra vocês que não estou com uma pontinha de ciúmes, queria que ele me contasse em primeira mão, afinal primeiro namorado é primeiro namorado, oras.

Porém, estou aproveitando para me segurar, corrigir algumas tendências possessivas, e deixar que ele faça suas escolhas sozinho, que curta seu momento tão particular. Quando ele achar oportuno vou estar aberta pra lhe ouvir e claro...fazer duas ou três perguntinhas do tipo- quem ele é? Quantos anos tem? Onde ele mora? É loiro ou moreno, é bonito? Ele estuda onde? Trabalha? Ele mora com os pais?  Coisas básicas não é mesmo? sem contar as mais indiscretas, essas eu deixo pra mais tarde.

Eu já fui muito mais neurótica, não estranhem, estou bem melhor!

É sério, para quem acompanhou o meu blog desde o início , já ouviu histórias de arrepiar os cabelos,inclusive encarei algumas críticas dos leitores na época.  Quem é perfeito? Eu não sou.

Como me considero um ser em constante descoberta e transformação, acho que estaremos sempre descobrindo uma nova faceta da mel.

Não sou mais a mesma que ontem, nem melhor, nem pior...quem sabe mais atrevida.

Mas o que é mesmo ser atrevida? É fazer o que se gosta sem se culpar?

 


Escrito por Mel às 21h18 Comentários Envie

Hibernação

13/07/2009

“A hibernação é um estado letárgico  pelo qual muitos animais endotérmicos, em grande maioria de pequeno porte, passam durante o inverno, principalmente em regiões temperadas e árticas. Os animais mergulham num estado de sonolência e inatividade, em que as funções vitais do organismo são reduzidas ao absolutamente necessário à sobrevivência.Pode-se dizer que qualquer animal que permanece inativo durante muitas semanas, com temperatura corporal inferior à normal, está em hibernação, embora as mudanças fisiológicas que acontecem durante o letargo sejam muito diferentes, de acordo com as diferentes espécies.”...

 

Eu queria associar o meu sumiço  com um estado de hibernação, com exceção da parte que menciona que os animais são de pequeno porte, hehehe.

Também não estive inativa, muito pelo contrário , tenho trabalhado muito,  e estou aqui na verdade para explicar o que houve.

Meu blog foi tirado do ar em meados de maio, por estar sem postagens ou atualizações na época, por um certo período . Tive naquele mês vários problemas no trabalho, mas isso não justifica meu erro. O objetivo do site é que todos os seus setores mantenham-se atualizados, o que acho muito correto!

Assumi meu erro e me comprometi a não voltar acontecer isso. Acho que somos adultos, podemos errar mas devemos ser humildes o suficiente para aceitar que erramos e pedir desculpas.

Peço desculpas aos leitores, aos amigos que sempre me visitaram,  vocês são a razão única de estar aqui , espero ter ainda um cantinho no coração de vocês.

 

E como de toda experiência se colhe algo de bom, nesse breve hiato descobri o quanto a  o blog da mel já era conhecido. Muitas pessoas  acabaram se revelando, ainda que pseudonimamente, perguntando do blog. Foi muito gostoso isso.

Foi gratificante verificar mais uma vez a gentileza do André Fischer. Gente boa, de paz, merece toda a minha estima e carinho. Valeu André!

Meus amigos de blog, a mel está de volta...Alegre

 

Beijos


Escrito por Mel às 14h42 Comentários Envie


 m O O n 

XML/RSS Feed

free counters